20 coisas que aprendi depois dos vinte ou FilosofiANA

Aos 20

Aos 20

Quem assiste Modern Family deve lembrar do episódio em que o Phil entrega o seu livro filosófico para a Haley, “Phil’s-osophy”. Para quem ainda não assiste, recomendo muito 🙂

"Se você ama alguma coisa, liberte-a. A menos que seja um tigre."

“Se você ama alguma coisa, liberte-a… A menos que seja um tigre.”

Pensando nisso, na minha mania de listas e em como é bom quando a gente se dá conta de que não aprendeu tudo sobre a vida durante a adolescência, listei 20 coisas que aprendi depois dos vinte (mas também pode chamar de FilosofiANA):

1. “Isso só acontece comigo” é uma fala muito pretensiosa.

2. Fazer feijão.

3. Que aquela história de “daqui há um ano, você gostaria de ter começado hoje” é muito verdadeira.

4. Que eu sou introvertida. E que não tem nenhum problema nisso.

5. Nadar.

6. Sempre questionar as minhas próprias opiniões e ideias formadas. E revê-las. E mudá-las.

7. Um pouquinho de francês.

8. Dificilmente (impossivelmente) tu começa fazendo algo com perfeição. Mas tu só vai fazer algo com perfeição, ou pelo menos bem, se começar e continuar fazendo sempre e sempre.

9. O pior ignorante é aquele que não se dá conta da própria ignorância.

10. Não ler os comentários nas notícias da internet.

11. A felicidade pode sim ser duradoura.

12. Ainda não foi inventada uma combinação melhor do que pizza+vinho+TV.

13. Dirigir.

14. A maior mentira que já me contaram é que a adolescência era a melhor época da vida.

15. Me preocupar e sofrer menos com problemas bobos. Ultimamente, antes de arrancar os cabelos, eu sempre me pergunto: “isso será problema daqui a um ano?”. O resultado é ótimo.

16. A alegria é contagiosa. A tristeza também.

17. Nosso país tem problemas (muitos). Mas todos têm.

18. Podendo escolher, na dúvida entre comprar experiências ou comprar coisas, sempre comprar experiências.

19. A empatia é uma força poderosa capaz de evitar e resolver muitos problemas.

20. Ser criativo depende basicamente de muito trabalho e de ter boas referências. Mas tem aquele 1% que é inspiração.

Né? (by Filosofia Moderna)

Né? 😀  (by Filosofia Moderna)

Coisas favoritas: música

Acho que todos adolescentes, ou quase todos,  têm várias ideias curiosas sobre a futura vida adulta. Eu era uma dessas. Sempre que ouvia a famosa “na adolescência a personalidade está em formação”,  pensava que era sinônimo de ter opinião formada sobre TODOS-OS-ASSUNTOS-DO-MUNDO.  Por causa disso, perto de completar 18, tive momentos de aflição  pensando “ai meu Deus, tô saindo da adolescência e ainda não tenho opinião formada sobre ______________  (insira aqui o tema polêmico de sua preferência)”. Ironicamente,  alguns anos depois aqui estou, questionando minhas “opiniões formadas” o tempo todo (é o que eu tento, pelo menos).

D-E-S-E-S-P-E-R-A-D-A

D-E-S-E-S-P-E-R-A-D-A

Outra ideia curiosa: para mim, a adolescência era “A” época de escolher as coisas que tu iria gostar para o resto da vida. Mais ou menos assim: até os 18 era o meu prazo para eleger as bandas favoritas – e livros, e filmes, e comidas, etc, etc, etc – porque depois disso, quando eu fosse uma velha de 20 e poucos, provavelmente meus sentidos estariam seriamente comprometidos para conhecer (e gostar) de coisas novas. Aham.

Mas também, como levar esta pessoa a sério? (sem bullyng com a foto, por favor!!!)

Foi adolescente que eu conheci o Aerosmith, minha banda favorita até hoje. E só. O livro favorito da vida ainda não encontrei, comida muito menos (acho que pizza não conta), entre outras coisas. Aliás, talvez isso não tenha nenhuma importância. Mas não deixa de ser recreativo pensar nessas escolhas 🙂

Show do Aerosmith no Morumbi em 2007. Sem bullyng com a foto, por favor :-P

Show do Aerosmith no Morumbi em 2007. Sem bullyng com a foto, por favor 😛 (2)

Mas isso tudo para falar de algumas bandas e cantores (alguns que eu lembrei) que eu conheci depois dos 20 (uns beeem depois, até porque nem existiam antes) e, pasmem, ainda assim fui capaz de amá-los. Eis a lista, porque né, essa mania de listas não tem fim.

The Decemberists

Florence + The Machine

Nina Simone

Beyoncé

Johnny Cash

Chico Buarque

A banda mais bonita da cidade

Amy Winehouse

Adoniran Barbosa

 

Ecletismo manda beijos, muáhh.

Gifs do John Travolta no Pulp Fiction também não têm fim.

Gifs do John Travolta no Pulp Fiction também não têm fim.