Sobre cinema e cozinha

Umas das resoluções para antes dos 30 é cozinhar (e fazer dar certo) algum prato difícil. Depois de pesquisar algumas receitas e não ter nenhum ideia muito genial, resolvi me arriscar no tal do Crème Brûlée. Não é lá tãoooo difícil, mas dá um trabalhinho. E nada como ter apoio né? Até ganhei de Natal um maçarico para colocar o plano em ação!

InstagramCapture_79e9318f-e6d2-46aa-9f7e-4bc6e95c8802

Cuidado, perigo!!! 😮

Mas comecei a achar que estava muito fácil só o creminho. Aí resolvi fazer uma outra receita junto com ele. Também não tão difícil, porém trabalhosa. Mas antes de falar dela, já contei quais são meus filmes favoritos? Não?! Então vamos a eles (todos certificados pelo IAGO).

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Já perdi as contas de quantas vezes assisti. E eu lacrimejo todas as vezes na cena em que o homem encontra sua caixinha da infância. O filme está inteirinho em boa qualidade e legendado no Youtube (aqui). Se ainda não viu, veja porque é a-coisa-mais-linda-do-mundo.

Apenas Uma Vez

Muito por acaso, escolhi esse filme há alguns anos atrás numa ida à locadora. Nunca tinha ouvido falar, mas li o resumo atrás da capinha do DVD e simpatizei. Talvez por não ter nenhuma expectativa tenha gostado mais ainda. As músicas LINDAS/MARAVILHOSAS/LINDAS (a principal ganhou o Oscar de melhor canção original) estão sempre no meu mp4. Aliás, a trilha sonora do Amélie também.

Assista esta cena, por favor, nunca te pedi nada (a música começa em 1:24). Vai te arrepiar, te emocionar, te fazer achar beleza na vida, hahaha (mas é sério <3).

Frances Ha

Vi este numa lista qualquer de “não sei quantos filmes que estrearão não sei quando que você precisa assistir”. Eu perdi ele no cinema (foi para poucas salas), mas assisti muito feliz quando foi para o Netflix. E foi muito amor à primeira vista. Cabe o comentário de que este é o único da lista que eu não tenho o DVD. Mas meu aniversário tá chegando, faltam só sete meses, já fica a sugestão 😛

Julie & Julia

Filmes em que as pessoas cozinham sempre me chamam atenção. Filmes em que as pessoas cozinham em cidades bonitas da Europa, nem se fala. O Julie & Julia é muito simpático e querido; é daqueles filmes pra ser visto depois de um dia difícil. Tu vai se sentir bem melhor, acredite.

Uns dias atrás, revendo o Julie & Julia, foi quando decidi a segunda receita: o tal de Boeuf Bourguignon, uma das muitas que aparecem no filme.

Aguarde cenas dos próximos capítulos. E me deseje sorte.

P.S.: tenho saudade dos tempos de férias em que eu ia para a locadora no dia de promoção (alugar tipo 10 filmes a preço módico), e perdia lá um bom tempo bisbilhotando as prateleiras, escolhendo o que ia alugar. Mas a locadora mais próxima de casa fechou faz um tempo. Coisas dos tempos modernos. Eu tento repetir esse pequeno prazer adicionando filmes na minha lista do Netflix, mas definitivamente não é a mesma coisa. Alguém mais?

Anúncios

Melhores 2015

Ainda sobre 2015, e seguindo no cultivo de listas, aí vão os melhores do ano, segundo o IAGO (Instituto Ana de Gostos e Opiniões).

Livro: Tudo são histórias de amor – Dulce Maria Cardoso

Dulce

O livro é de 2014, mas foi lido em 2015 então é o que conta 😛                                                    A primeira vista esse livro pode enganar pelo título água com açúcar. Mas ele é brutal em vários momentos. E maravilhoso. E me abalou como há algum tempo nenhum outro livro fazia. Dulce, mal te conheço, mas já te considero pacas ❤

 

Filme: Birdman

Eu amei tudo nesse filme: as atuações, a maneira como foi filmado, o humor ácido, a trilha sonora… Não vi nenhum outro em 2015 que tenha gostado tanto.

Mas faço uma menção honrosa ao Que horas ela volta? e ao Olmo e a gaivota MARAVILHOSOS!!!

 

Série: Sense8

Diferente de qualquer outra coisa lançada em 2015. Conservadores devem ter ficado de cabelo em pé. Tem falhas de roteiro? Tem. Cai em alguns estereótipos? Cai. E ainda assim consegue ser ótima. Em particular, me emocionou esta cena com um baladão duvidoso dos anos 90.

 

Youtuber: Jout Jout

Nunca, NUNCA na vida fui de acompanhar canais do Youtube. E os tais “Youtubers”, muito menos. Via alguns vídeos aleatórios, mas nunca tive muita paciência. Depois do sucesso do vídeo do batom vermelho (aqui), descobri a Jout Jout e virei fã. Os vídeos dela tratam desde assuntos sérios (como esse do batom, sobre relacionamentos abusivos), até outros com temas bem leves e bobagentos – daquelas coisas loucas da internet que parecem só fazer sentido (e terem graça) nela. Exemplo supremo disso, o clipe do funk com o questionamento eterno “Biscoito ou bolacha?”. Mas já que estamos (ainda estamos?) em época de resoluções de ano novo, deixo este vídeo:

 

Site: Lugar de Mulher

Lugar

Escrito por Ana Paula Barbi, Clara Averbuck e Mari Messias. Textos ótimos, ótimos, ótimos. Bom conteúdo, bem escritos, engraçados (quando possível), informativos. Foi um desses que me apresentou a Nina Simone, então não precisava de muito mais para ser maravilhoso 🙂 (mas é).  A descrição do próprio site é melhor do que qualquer uma que eu tente fazer, então clique aqui.

 

Show: Foo Fighters

ff

Eu quase não acreditei quando soube que eles viriam em Porto Alegre. Foi lindo, foi muito lindo. Rolou uma lágrima quando tocaram a música aqui de baixo, e olha que eu não sou de me emocionar em shows (mentira, eu choro em todos).

 

Música: não achei uma favorita nesta categoria que fosse de 2015. Aí pedi socorro ao Google e constatei que não conhecia 90% das músicas que diziam serem as melhores do ano. Deixo aqui então um Beatles, porque todo ano é sempre bom (pelo menos é o que diz o IAGO).