BEDA Dia 19 – Um ano de blog OU o que consegui fazer até os 30

Há um ano atrás, depois de umas ideias pipocando, criei o blog. O plano era realizar uma lista de coisas antes do meu aniversário de 30 anos (que olha só, o tempo passa, o tempo voa foi ontem). E escrever aqui contando como fosse, cada vez que um item da lista ganhasse um check!. Fora isso, a ideia era também escrever algumas histórias e textos aleatórios que fossem surgindo. Masss…

Tipo Caco.

(de novo esse gif aqui por motivos de: os gifs do Caco são os melhores)

…escrevi bem menos do que gostaria, mas em um volume até que bem aceitável pra quem está em um ano de TCC, estágios e estudos diversos (além do resto normal de trabalho, casa, sono, vida, séries).

ZZZzzzZZZ

ZZZzzzZZZ

Mas indo ao que interessa: o que eu consegui e o que não consegui cumprir da lista!

  • Visitar no mínimo cinco países. NÃOOO. Fiquei nos mesmos quatro de quando tinha 29.
  • Ler 250 livros. YESSSSSAos 45 do segundo tempo, mas meta atingida! Todos os 250 estão registrados na lista do Skoob 🙂
  • Dirigir na Freeway. YESSSSSConseguiiiii! E o medo de dirigir já quase se foi totalmente. Leia aqui!
  • Fazer trabalho voluntário. NÃOOO. Não rolou. O tempo vem sendo curto, não consegui me organizar.
  • Cozinhar algum prato realmente difícil. YESSSSSFoi mais trabalhoso do que difícil, mas consegui. Leia aqui!
  • Escrever mais. YESSSSS. E a prova disso é que este blog ainda vive! Tenho que confessar que no início do ano até enviei poemas para um concurso literário – ganhei só um “obrigado”, mas tá valendo 😀 E o item seguinte também foi realizado…
  • Concluir o projeto “escrever livro infantil”. YESSSSS. Falei sobre a Genevive aqui.
  • Aprender alguma coisa totalmente aleatória.  NÃOOO. Assim, pesquisei várias coisas para aprender, de velas artesanais a dança flamenca. Mas, de novo, tempo e organização curtos, então não aconteceu…
  • Pintar estes quadrinhos. YESSSSSVejam aqui as fotos das minhas obras-primas (nooooot), incluindo o EXCLUSIVÍSSIMO vídeo com a pintura de uma delas.

WP_20150818_002

E agora que cheguei aos 30, o que vai ser? O blog acaba? Muda de nome (30 e todos anos OU um milhão de coisas pra fazer antes dos 40)?

Nadaaa disso!

Nadaaa disso!

Vou ajustar algumas coisinhas, mas continuar por aqui. Afinal, três itens ainda não foram cumpridos. E já tenho váriosssss outros para aumentar essa lista 🙂 Além do que, né, não deixa de ser uma forma de continuar (a me obrigar) praticando escrever uma coisa aqui, outra ali. Algumas pequenas curiosidades sobre o que se passou nesse primeiro ano:

  • Os dois ou três primeiros posts do blog foram escritos tarde da noite. Aí eu postava e depois não conseguia dormir, pensando no as pessoas que iriam achar do que eu tinha escrito. Pois então… O maior desafio não foi nem realizar aqueles itens da lista, mas lidar com o fato de que algumas pessoas poderiam ler o que eu escrevi. Mas depois de um ano isso passa – agora já não reviso/reescrevo 50 vezes cada post, porque né…
giphy (7)

Ninguém liga, incluindo (agora) eu, hahahah.

  • O post com maior número de acessos até hoje foi aquele em que apresentei a Genevive (aqui) ❤ Em segundo, um desta semana, com fotos minhas de Porto Alegre (aqui). E o mais comentado foi o do primeiro dia de BEDA (aqui).
  • Quando alguém me encontra pessoalmente e faz comentários sobre o blog (o que eu adoro) eu nunca sei muito bem como lidar, então minha reação é mais ou menos assim:
:-P

😛

  • Tenho quase certeza de que, se fizesse uma pesquisa, descobriria que as palavras mais usadas por mim aqui foram “aí”, “aleatórias, “masss” e aquelas riscadas 😀

Por enquanto, obrigada do fundoooo de meu coração a todos que passaram por aqui pra dar uma espiada ou fazer um comentário. Voltem sempre! ❤

Muáááh

Muáááh

Anúncios

Genevive

Quase todo mundo que gostava muito das aulas de português já pensou alguma vez na vida em ser escritor. Ou arriscou uns poeminhas na adolescência. Comigo não foi diferente.  Depois que eu descobri meu amor pela leitura, passei boa parte da adolescência lendo Agatha Christie. Era um livro dela por semana, às vezes mais. Então, lá pelos 18, eu escrevi meu próprio romance policial, muito imitando me inspirando na Agatha. E lembro que nessa mesma época eu tive uma ideia pra outro romance, este não policial. Era um romance bem romântico e trágico,  e eu passava horas pensando nele: na história, nos personagens e até nos atores que os encenariam na versão cinematográfica – pouco delirante desde sempre, rsrsrsrs.

Tipo Caco.

D-O-I-D-A

Vale a observação de que tudo isso foi antes do advento do computador chegar na minha casa. O romance policial foi escrito num bolo de folhas de caderno, e a história de Jamile e Joel  – estes eram o meu casal trágico – eu anotei  resumidamente num pedacinho minúsculo de papel, pra não esquecer. Porque, veja bem, todas minhas obras seriam escritas e passadas a limpo quando o computador chegasse.  E eu ficava pensando, “quando eu tiver o computador eu…”. Aham.  Aí um dia eu comecei a achar aquilo tudo muito besta e joguei todos meus escritos fora. Não lembro se foi antes ou depois do computador chegar, mas o fato é que, depois que ele chegou, eu não escrevi uma única linha.

O problema não era o computador...

O problema não era o computador…

Muitos e muitos anos depois, a vontade de escrever alguma coisa apareceu de novo. E mais do que ela, uma crise interna em que eu me perguntava por que foi que eu tinha parado de escrever. E eu realmente não sei a resposta. Também penso que se eu tivesse continuado com aqueles romances bobinhos, eles podiam ter se tornado algo melhor, eu teria praticado mais a escrita, sei lá… Aí, que drama.

Cry

Drama? Temos.

A vontade de escrever foi tomando uma forma um pouquinho mais consistente, e surgiu a ideia de fazer uma parceria com o namorido: eu escrevendo, ele ilustrando. E ele ilustra muito melhor do que eu escrevo, então estou muito no lucro  😀 Foi dessa parceria que nasceu a Genevive, a cabra:

Genenvive3

AAAAH, mas agora não é mais um romance trágico ou policial. É uma história infantil 🙂

A Genevive é a protagonista da história, que está terminando de ser lindamente desenhada <3. E mais do que isso, a Genevive é uma tentativa de voltar a escrever e me divertir com isso. Assim que estiver tudo pronto, iremos compartilhar por aqui 😉 Mesmo assim, acho que já posso riscar da lista:

  • Concluir o projeto “escrever livro infantil”. 
Muááh

Muááh